CORRENDO NA CHUVA

Sabe aqueles dias em que o despertador toca, você se levanta e é surpreendido por uma chuva e um clima muito gostoso? Seu primeiro pensamento é voltar para a cama, mas lembre-se: sair será sempre melhor do que sua melhor desculpa. Com exceção das tempestades com raios, correr na chuva não traz nenhum prejuízo ao atleta. Só é preciso tomar alguns cuidados extras para que não se machuque ou adoeça.

Em primeiro lugar, tem que tomar um cuidado especial com o que vai usar: evite meias de algodão e camisas com um material mais pesado. O mais importante é correr usando boné ou viseira, pois não há nada mais irritante do que os pingos d´água caindo nos olhos.  Logo após o treino, lembre-se de trocar o mais rápido possível a roupa molhada, evitando assim gripes e viroses. Coloque o tênis para secar em local adequado, e nunca o guarde em locais abafados.

Muito cuidado com o local do treino: escolha-o com atenção. O piso molhado favorece a queda, portanto, evite pisar nas pinturas das ruas, como faixas de pedestres, pois se tornam escorregadias quando molhadas. Procure fazer trajetos conhecidos, para evitar surpresas, uma vez que a água acumulada pode esconder buracos e bueiros. Locais com muitas árvores também devem ser evitados, já que existe o risco de queda de um galho. E, claro, se estiverem caindo raios, não se arrisque. O melhor é esperar a chuva passar.

Em dias de chuva, o clima fica maravilhoso e o seu rendimento pode até melhorar. Não perca seu treino por conta de “uma chuvinha”. Se você não domina totalmente a corrida, a chuva não é o momento de dar tiros e intervalados. Faça uma rodagem mais leve e sinta a chuva bater em seu rosto. Esse é o melhor momento para pensar na vida e traçar novos objetivos.

 Seguindo essas orientações, o corredor conseguirá completar seu treino tranquilamente, e sem riscos.

Prof. João Tavares Neto

Cref :4843 G/CE