Retropé, médio-pé, antepé… Estudo mostra o tipo de pisada que a maior parte dos corredores adota


Tipo de pisada: saber como você aterrisa o pé no solo é importante para avaliar a técnica de corrida e evitar lesões

BlogMessengerStarkEspacoEmBrancoSimples

O padrão de pisada do corredor é tema de pesquisa desde os anos 1980 e já foi assunto de muitas discussões. Mas de cinco anos para cá, com o aumento de corredores que buscam a corrida minimalista, esse tema ganhou ainda mais importância. Foi por conta disso que um  estudo publicado na revista científica  Physical Therapy in Sport  resolveu avaliar qual é o tipo de pisada mais comum entre corredores amadores.

A pesquisa avaliou o padrão de pisada de corredores durante os treinos feitos em ruas e parques. Para que você entenda, o padrão de pisada mostra qual a primeira parte do pé que toca o chão durante a passada. Ele está dividido em três grupos: retropé, quando o solo é tocado primeiramente pelo calcanhar; médio-pé, quando há um toque simultâneo entre a parte da frente e a parte de trás do pé; e antepé, quando a parte da frente é a primeira que atinge o chão.

De acordo com o estudo, dos 514 corredores avaliados, 95% pisam com o retropé, 4% com o médio-pé e apenas 1% com o antepé. A média de idade dos corredores participantes era de 42 anos. Eles treinam cerca de 25 km por semana e têm, em média, seis anos de experiência na corrida.

O que o estudo revela

A importância do tipo de pisada se dá pela relação entre a incidência de lesões nos corredores e a técnica de corrida utilizada. De acordo com o estudo, existem diferenças de carga que agem no corpo em cada um dos tipos de pisada, assim como as articulações respondem de formas diferenciadas em cada um dos casos. Pessoas com padrão de pisada de retropé e médio-pé tendem a sofrer mais com  fraturas por estresse  na tíbia e no pé, assim como apresentam  fascite plantar  e  dores nos joelhos  com maior frequência. Já corredores que aterrisam com o antepé têm maior incidência de lesões como  tendão de Aquiles  e na  panturrilha.

É claro que alguns fatores influenciam nesse padrão de pisada, como o tipo de tênis usado durante a corrida, a velocidade com que você corre (quanto mais veloz, maior é a tendência de usar o médio-pé e o antepé na passada) e a instrução sobre a técnica de corrida. Mas para identificar o seu tipo de pisada basta pedir para que alguém olhe você correndo. Certamente, ela irá perceber qual a parte do seu pé que toca primeiro o solo, assim como aspectos gerais, como inclinações do corpo, tamanho do passo, movimentos de joelho e assimetrias chamativas. Essas informações ajudam a direcionar os seus treinos para que você tenha uma melhor técnica de corrida e deixe os problemas bem longe de você.

Além disso, uma boa pedida para manter uma boa técnica de corrida é incluir  exercícios educativos  nos treinos. Eles ensinam o corpo a correr com postura adequada e equilíbrio, melhorando as capacidades físicas e motoras do corredor.

BlogMessengerStarkEspacoEmBrancoSimples
Por Lygia Haydée. 

Publicado em https://o2porminuto.ativo.com

BlogMessengerStarkEspacoEmBrancoSimples