Dia 25 de abril de 2015 foi realizada a I Etapa do Campeonato Cearense de Triathlon Olímpico (1500m de natação + 40km de bike + 10km de corrida) no Marina Park. Analisando os inscritos na minha categoria, vi que seria difícil ficar no pódio, mas estava bastante confiante. A transição ficaria aberta entre 6h e 6h50 da manhã. Nesse tempo você tem que colocar tudo o que vai usar nas duas transições. Fechando a transição, o atleta que não entrou não poderá mais competir. Entrei na transição as 6h30 e deixei tudo pronto. Minha largada estava marcada para as 7h45. Seriam 2 voltas de natação em um circuito triangular, 8 voltas de bike em um percurso com subida e travado e mais 4 voltas de corrida. 
 
Fiquei alinhado para largar ao lado de meu amigo Hebert. Apito soa e faço a estratégia de forçar ao máximo na natação. Era a única chance que tinha para ficar no pódio, já que meus “concorrentes” são extremamente fortes na bike e na corrida. Caí na água e já fico na ponta. Chego na primeira boia na frente e super bem. Viro para a segunda e aumento o ritmo. Fazia tempo que não nadava tão fácil.  
 
Da segunda boia você virava em direção a praia. Resolveram colocar outra boia perto da praia e a virada para a segunda volta seria dentro dágua. Geralmente você tem que contornar um ponto na areia. Na segunda volta consigo aumentar mais o ritmo e cheguei na área de transição bem na frente. Faço a transição rápido e vou para as 8 voltas de bike. Em percurso travado não me saio muito bem, pois não tenho muita potência nas retomadas. 
 
Voltando na primeira volta vi que tinha colocado meia volta para o segundo lugar. Ele foi chegando a cada volta e eu tinha que forçar a todo momento para sustentar a ponta. No Triathlon Olímpico pode usar o vácuo da bike da frente. Eu estava puxando um pelotão na frente do pelotão do segundo lugar. A diferença é que ninguém no meu queria fazer o revezamento e ele estava o tempo todo revezando. Na sétima volta o segundo chega em mim. Ele tenta me deixar mas sustento atrás dele. Nessas últimas duas voltas ficamos revezando muito forte e entramos juntos na transição. 
 
Estou no meu auge da corrida, mas ao sair para correr não consigo respirar. Fico muito mal e começo a andar. Acho que tinha forçado demais na bike. Volto a correr e chego na subida da leste oeste. Paro novamente e nessa hora o cara que estava em 3º me passa. Agora estava no limite do pódio e apenas no começo da corrida. Coloquei na cabeça que não andaria mais de forma alguma, mesmo muito mal. Para piorar, o calor começa a ficar insuportável. Chego na volta e dou uma melhorada. Não consegui saber quem estava em quarto. Então resolvo forçar a qualquer custo as últimas duas voltas. Começo a tirar a diferença para o segundo e nessa hora ainda penso em ir buscá-lo. Mas só penso mesmo 🙂 Estava no meu limite para esse dia. Cruzei a linha de chegada em terceiro e bastante feliz. Eram atletas de alto nível e a luta foi até o fim.
 
Obrigado pelo apoio da Stark. Cada palavra de incentivo é fundamental para que possamos superar as dificuldades e continuar indo em frente. Estou na melhor fase esportiva da minha vida esportiva e isso devo a essa assessoria que aprendi a admirar. Obrigado meu irmão Ricardo por ter me proporcionado tudo isso. Não sou metade do que você é, mas agora estou no caminho certo. 
 
“Acredite em si próprio e chegará um dia em que os outros não terão outra escolha senão acreditar com você.”
BlogMessengerStarkEspacoEmBrancoSimples