Dica do especialista: fortalecimento muscular

Trabalhar a musculatura dos membros inferiores previne lesões e melhora o desempenho


id2_n_aaa10e7e1758b862640ca8bd655991d2.jpg

Muitos corredores demoram a se render aos trabalhos de musculação – e outros anaeróbios – , mas depois que começam – e percebem a melhora no desempenho – não param mais. O fortalecimento dos membros inferiores ajuda os atletas a evitarem lesões e baixar ainda mais os tempos.

O treinador da BK Sports, Kim Cordeiro, explica a importância desse trabalho. “O fortalecimento muscular, paralelo ao trabalho de corrida, serve para dar proteção às articulações, músculos e tendões, minimizando a possibilidade do atleta se lesionar”, comenta. “Além disso, há um ganho de força e potência muscular, o que acarreta em uma melhora significativa na performance do corredor.”

Segundo o treinador, “a ausência desse exercício de fortalecimento pode deixar a musculatura mais frágil e incapaz de receber cargas maiores de intensidade e volume nos treinos de corrida.” A consequência disso é que os atletas fiquem em um mesmo patamar sempre, pois quando tentam evoluir, sentem algum tipo de lesão.

“Praticamente todos os músculos dos membros inferiores estão envolvidos no movimento da corrida”, conta Cordeiro. “Os mais exigidos são os extensores do joelho [quadríceps], flexores do joelho [bíceps femoral, semitendinoso e semimembranoso], glúteos e panturrilha.” Para o treinador, o ideal é fazer um fortalecimento geral da cadeia muscular das pernas – além do core (grupo muscular do abdômen).

Há mais de uma maneira de fazer esses exercícios. “A musculação é uma das formas mais comuns de fazer o fortalecimento, mas muitas pessoas têm optado pelo pilates e outros exercícios funcionais”, diz Cordeiro. “Desde que o trabalho seja feito de maneira direcionada, com uma progressão de força, todos são boas ferramentas”, completa. O acompanhamento de um educador físico também é fundamental para que não haja nenhum tipo de lesão com essas atividades.

Fonte: Revista O2